sábado, 7 de maio de 2011

O início de uma espetacular jornada

Quando a minha esposa ficou grávida em 2010, eu estava para iniciar a minha primeira experiência como pai. Então passei a me dedicar, durante o meu pouco tempo livre, à leitura de artigos e livros que me fizessem entender melhor esta nova fase da minha vida. Atuando como Diretor Técnico de uma empresa de tecnologia e inovação, o meu tempo sempre foi muito limitado para atividades não relacionadas ao meu trabalho. Então tive que selecionar bem o que eu iria estudar, pois o tempo é algo muito escasso no meu cotidiano. Basicamente as minhas leituras se concentraram durante os diversos vôos que faço à trabalho.

Durante a minha pesquisa, eu me deparei com um livro que me chamou a atenção. O título era "Como ensinar seu bebê a ler" de Glenn Doman. Achei muito curioso o livro e resolvi colocá-lo como minha prioridade de leitura. Durante um vôo de duas horas e meia, eu li praticamente o livro inteiro. Eu abandonei várias crenças totalmente equivocadas sobre a capacidade intelectual dos bebês e embarquei numa espetacular jornada em busca de uma forma de potencializar o aprendizado desde o nascimento.
Ao longo da minha vida, eu sempre tive uma forte ligação com o ensino. Comecei a dar aula particular aos 12 anos de idade para ajudar colegas e familiares com dificuldade principalmente em matemática e física. Porém, este novo universo que comecei a explorar não se compara a nada que eu tenha feito anteriormente. Por isso, tive que me dedicar para transformar as técnicas propostas por Glenn Doman em uma metodologia realmente prática para minha esposa aplicar desde o nascimento da minha filha. Acabei importando vários livros (originais em inglês) do mesmo autor e, como um bom Engenheiro, logo tratei de montar uma metodologia com planilhas que controlam a evolução do aprendizado de forma gradativa desde o dia do nascimento.

Entre os muitos ensinamentos que incorporei através dos livros de Glenn Doman, está a quebra do mito de que a inteligência está ligada a genética. Este mito também foi desmascarado através de um caso real retratado numa reportagem da revista veja, onde um banco de sêmen foi criado por um multimilionário americano com objetivo de "gerar" crianças "superdotadas" por meio de inseminação artificial com o esperma doado por cientistas brilhantes, de preferência ganhadores do Prêmio Nobel. As crianças "geradas" por esta experiência possuem inteligência normal compatível com a média das demais crianças. A tese proposta por Glenn é que todo recém-nascido tem o mesmo potencial para ser um "gênio" e os estímulos que ele irá receber ao longo de sua vida irá determinar se ele desenvolverá habilidades superiores a média considerada "padrão". Esta tese foi comprovada por fatos apresentados ao longo de vários anos de pesquisas desenvolvidas pelo próprio Glenn. Com isso, podemos concluir que toda mãe tem razão quando fala que seu bebê é um gênio, pois este potencial é inerente a todos os bebês saudáveis. É justamente em homenagem às estas mães que eu batizei este Blog de Bebê Gênio.

Outro mito importante que deve ser deixado para trás é que o ato "ensinar" está associado à algum tipo "obrigação". Este mito é criado com base normalmente em experiências ruins que vivenciamos nos métodos de ensinos tradicionais. Porém, o fato real é que os bebês adoram aprender e tratam a aprendizagem de coisas novas como a melhor brincadeira do mundo.

A melhor satisfação que os pais possuem ao aplicar os métodos propostos por Glenn, por mais estranho que possa parecer, não está no resultado final, mas sim ao longo do caminho percorrido que é composto de uma grande experiência de amor e aprendizagem entre pais e filhos. Há muito tempo a relevância do resultado final (a efetiva leitura precoce) deixou de ser o ponto principal do ensino da minha filha, pois os momentos vividos por mim e minha esposa em cada etapa da aprendizagem tem sido uma experiência única. Neste mesmo sentido, eu aconselho que os pais que venham a aderir a estas técnicas de ensino de bebês não fiquem presos unicamente ao objetivo final, mas que saibam aproveitar cada momento de amor e confraternização com os filhos.

Os meus estudos a este universo das mentes dos bebês começou a despertar o interesse de amigos e familiares. Então comecei a organizar uma forma de compartilhar as informações através de um Blog e um perfil no Facebook. Eu dedico esta primeira postagem a minha esposa cujo amor e dedicação ao ensino da minha filha Mirela tem gerado resultados incríveis. Para minha querida esposa: Feliz dias das mães!!!


Caso você tenha gostado deste Blog, clique no botão Curtir:


7 comentários:

  1. Uchôa, sua filha é linda e seu Blog é uma excelente iniciativa. Parabéns a você por tudo: pela filhota bebê (quero uma para mim...), pelo Blog e pelo sucesso. Um forte abraço,
    Aderson.

    ResponderExcluir
  2. Uchôa, uma vez interessado neste assunto...mas já pensando em pucos anos à frente, recomendo ler textos ou livros do Ricardo Semler e Peter Senge.

    195

    ResponderExcluir
  3. Oi Aderson, agradeço o seu comentário. Um grande abraço amigo.
    Uchoa

    ResponderExcluir
  4. Oi Borges, vou verificar as suas recomendações, um grande abraço.

    185
    []s

    ResponderExcluir
  5. Vocês não estão sós nessa jornada!
    Aqui em Brasília há várias outras famílias. Se quiser manter contato, vamos combinar.
    Uma referência é a Kátia Xavier do www.aletramentomaterno.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi Bayma,

    Muito legal a sua dica. Muito bom saber que existem outras iniciativas em Brasília. Podemos sim manter contato. O email da minha esposa é rita[arroba]uchoa.com

    []s Helton

    ResponderExcluir
  7. Linda sua filha Uchoa!
    Tenho o Arthur de três meses e descobri esse método a pouco, estou me informando o máximo que posso, pois os livros estão difíceis de achar, até agora só achei um e em espanhol, já quero devorá-lo!
    Não vejo a hora de começar mais essa (maravilhosa) jornada.

    ResponderExcluir